Os Brasileiros “INVISÍVEIS”.

O Governo Federal, ao iniciar o cadastramento para iniciar os pagamentos da CORONA VOUCHER de R$ 600,00 (seiscentos reais), as pessoas menos favorecidas e que não constavam do universo real – contas em bancos, carteira assinada, MEI, pequena e média empresa aberta, etc, e como estavam paradas e sem renda, que eram obtidas de seu quotidiano (vendedores de balas, doces, etc), em um provável universo estatístico de duzentas mil pessoas do mercado ativo, o Governo Federal, estimou que seriam em torno de 35 mil pessoas nesta categoria de “invisíveis” (autônomos de todas as categorias, etc) e quando o cadastramento via online, iniciou-se o espanto do Ministério da Economia, já estavam inscritos 47 mil e não havia chegado ao fim e estima-se agora em torno de 55/60 mil pessoas nesta categoria.

São de todos os tipos: encanadores, pedreiros, pintores, diaristas, cuidadoras, vendedores ambulantes, pescadores, vaqueiros, etc.

Somos um país de tamanho descomunal, e agora descobrimos que em torno de aproximadamente ¼ da população, se vira nos trinta para sua sobrevivência “diária”, sem contar com a rede de proteção do mercado formal de trabalho, com direito a legislação trabalhista, acesso a credito do mercado formal , atendimento em hospitais e a medicina formal.

Com o efeito cascata de disseminação do Coronavirus, institui-se a quarentena, para tentar o bloqueio da mesma, pois não existem leitos hospitalares, médicos, enfermeiros e hospitais disponíveis para um numero excessivo de pessoas a serem tratadas e haverá sem dúvida uma escolha macabra: quem viverá e quem será entregue a própria sorte?

Foto: Freepik

A economia subterrânea a que se referem os institutos de pesquisas e de economia, onde os cálculos econométricos não conseguem apurar sua movimentação e quantificar os valores envolvidos, são os “invisíveis”, que atuam neste segmento de mercado, sem controle, estatísticas e dados não mensuráveis para as planilhas e apuração de resultados.

Descobriu-se que não são fantasmas, não são irreais e com ou sem documentos formais, subsistem nas ruas e cidades do país inteiro, e dão sua contribuição com sangue, suor e lágrimas, para a movimentação econômica do Brasil.

Moram nas ruas, favelas, pontes, etc ou até em alguns casos em residências e apartamentos para a baixa renda.

Moram em tocas como bichos, juntos o casal e a penca de filhos pequenos, todos sem lenço e nem documento, todos vivem apenas o dia a dia, sem esperança, sem futuro e sem amanhã, e muitos não vão as escolas pois não tem documentos para serem matriculados, não tem endereço formal e muitas vezes, nem sabem quem é o pai, e podem crer, são milhares e milhares de brasileiros e todos preocupados, de quem é da esquerda ou da direita, brigando como galos pelas redes sociais, pois como o próprio escritor italiano Umberto Eco, relatou – a internet deu voz aos idiotas. Como eles vão fazer isolamento social? Como os coitados da cracolândia, vão fazer isolamento social (Um problema social e médico insolúvel no país)

Foto: Pixabay

Mas como são “invisíveis” serão enterrados, em sacos negros, em valas coletivas, e não terão ninguém chorando ou dando falta deles: os brasileiros “invisíveis”.

As políticas públicas, após esta pandemia, deverá ter através do Congresso e do Executivo e Judiciário, encaminharem ações, para que os “invisíveis” tornem-se brasileiros formais, existam como pessoas, tenham acesso aos bens produzidos, sejam reconhecidos em seu valor como ser humano e tratados com dignidade, pois um Pais é reconhecido por ter : terra, língua, leis e pessoas.

Reconheça, você é um privilegiado, divida com os desafortunados parte de seus rendimentos e bens e viva em um país muito melhor que o anterior antes da pandemia, com pessoas avarentas, desprovidas de amor e cultivando muito ódio, pertencentes a grupos com o mesmo pensamento e posição política, sem olhar o próximo como alguém que precisa ser alçado ao patamar de vida e não de sobrevivência. Faça a sua parte, e creio que muitos outros ao observarem você, também estarão fazendo as deles e todos contribuindo para um novo mundo, muito melhor que o anterior. Isto pode dar certo, basta o seu primeiro passo para um novo Brasil.

Um comentário em “Os Brasileiros “INVISÍVEIS”.

  • Avatar
    maio 1, 2020 em 11:17 am
    Permalink

    Ótima abordagem sobre uma realidade que creio conhecida das autoridades, mas não reconhecida de direitos.
    A pandemia foi eficaz para desvendar para todos a realidade da população brasileira.
    E, mais importante, alertar os governos sobre as suas reais necessidades, exigindo políticas públicas que contemplem toda a nação.
    Parabéns

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *