Bom Dia, aqui é a Piloto Patrícia Procópio…

Patrícia como surgiu a ideia de ser piloto, você foi influenciada por alguém?

Desde criança, eu Patrícia, costumava admirar quando passava um avião rasgando os céus com tanta propriedade desafiando a natureza junto de meu pai. Parecia algo impossível para mim ter a oportunidade de um dia voar como passageira quem diria como piloto.

Mas a vida nos surpreende de tal maneira que hoje sou piloto de Boeing em uma das maiores empresas aéreas do país.

Me fale de sua infância?

Tive uma infância humilde, cresci e vivo até hoje na Zona Leste de São Paulo. Um anjo em forma de amiga apareceu em minha vida e me apresentou a aviação.

 

 

Quantos anos você tinha nesta época e em que trabalhava?

Nesta época dava aulas de inglês, tive a oportunidade de ter uma aluna comissária, Ana foi através dela que me despertou o desejo de voar após muitas conversas sobre a profissão na qual eu ficava fascinada.

Me matriculei em um curso de comissária, participei de treinamento na selva, e aguardei alguns anos para conseguir meu tão almejado emprego em uma Linha Aérea. Hoje tenho nove anos de aviação, a mesma idade de minha amada filha Sara.

Como foi seu primeiro voo?

Em meu primeiro voo na carreira tive a oportunidade de decolar da cabine de comando, junto dos pilotos para saber como era o trabalho deles e me preparar para iniciar o meu… mas foi alí que despertou em mim o sonho que eu não tinha noção que poderia conquistar: ser piloto de avião. Eram tanto “botões”, procedimentos, checklists, a vista linda de um céu imenso só para nós…projetei minha vida para um dia estar sentada alí também.

 

 

 

E qual foi seu próximo passo para realizar seu sonho, e suas dificuldades?

Algo que parecia tão impossível tornou-se um desafio e projeto de vida. Pesquisei curso, escolas de voo, consultei colegas pilotos, enfim, tudo que foi possível para tornar este sonho realidade eu fui atrás. Minha vida se tornou um grande desafio, pois dividia meu tempo com o trabalho, a maternidade, família e estudos.

Minha filha era bebê e me acompanhava nas idas ao interior de São Paulo para voar no aeroclube. Ás vezes perdia a viagem devido ao mal tempo, avião em manutenção, passava um dia inteiro esperando mudar o tempo para voar uma hora apenas, sem falar da dificuldade financeira, pois uma hora de voo custa em média 400,00 reais podendo chegar a R$ 1.200,00 reais dependendo do equipamento. Para formação de um piloto é necessário muito dedicação e paciência pois a estrada é longa, estuda-se primeiro teoria, uma parte do treinamento é em simulador de voo, voos práticos e as avaliações (Checks) feitos por profissional credenciado pela Agencia Nacional de Aviação Civil (ANAC).

E assim foi e está sendo minha jornada, juntei aproximadamente 300 horas com muito sacrifício, porém mais motivada do que nunca porque eu queria voar avião grande e sentia que estava próximo de realizar o sonho de me tornar piloto de uma empresa séria e comprometida com a segurança, e foi na empresa que me deu chance de ser comissária que também confiou a mim ser e estar copiloto até hoje.

 

 

E como foi sua jornada?

A jornada é longa, somos colocados sempre á prova, treinamentos e mais treinamentos, simulações de emergências que treinamos e aprendemos a gerenciar com excelência. Não nos é permitido errar, afinal vidas são confiadas a nós pilotos, por isso, levamos muito a sério, estamos sempre prontos para lidar com situações adversas.

O que você diria aos leitores valeu a pena?

Tudo valeu e vale muito a pena quando se faz o que se gosta com amor e dedicação… Voar é incrível, proporcionar essa experiência a outras pessoas é gratificante ainda mais em uma das aeronaves mais confiáveis do mundo. Voar o Boeing 737 é motivo de muita alegria e orgulho para mim, é uma aeronave extremamente segura, moderna, com capacidade de transportar aproximadamente 186 passageiros, com peso de até 79.000 kg, voa a aproximadamente 800km por hora em voo de cruzeiro. Em um dia vou de Norte a Sul do país, ás vezes são 5 voos por dia, passamos dias pernoitando em hotéis em cidades diferentes, essa é basicamente a vida de um tripulante, e hoje posso dizer que vale muito a pena, se fosse para começar novamente, faria tudo de novo.

 

 

Quais dicas você poderia oferecer aos novatos e a quem sonha com essa profissão?

A dica que eu dou é para que a pessoa faça um planejamento e pesquise sobre o assunto, veja vídeos entre nesse mudo da aviação, faça um voo panorâmico para saber se é isso mesmo que ela quer…. o investimento e dedicação são grandes, serão dias e noites de estudos, mas que lá na frente valerão muito a pena, não desistir e acreditar no sonho porque todos somos capazes.

Uma mensagem para os nossos leitores?

Aqui é a Piloto Patrícia Procópio, uma ótima viagem a todos.

 

Capa e Fotos: Piloto Patrícia Procópio

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *