MELANOMA

 

A triste e recente morte do cantor Roberto Leal, decorrente de complicações do Melanoma, reacendeu na mídia e nos pacientes a preocupação com esta doença, um câncer de pele mais agressivo.

Como identificá-lo?

Existe a prática regra do ABCDE, explicada a seguir. Na maioria das vezes o melanoma é uma mancha com as características:

A: ASSIMETRIA – ao traçarmos uma linha imaginária no centro da lesão, uma metade fica diferente da outra.

B: BORDAS IRREGULARES – suas bordas não são certinhas e arredondadas, lembram um desenho recortado de mapa.

C: COR – na maioria das vezes escurecida, com cores diversas associadas.

D: DIÂMETRO – sinais com tamanho acima de 0,6 cm têm maior risco de malignização.

E: EVOLUÇÃO – alteração das características iniciais da lesão.

 

Alguns melanomas surgem a partir de um sinal que já existia anteriormente (nevo melanocítico) e que apresentou as modificações detalhadas acima.

Como tudo na dermatologia pode ser bem complicado eventualmente, existem vários subtipos de melanoma e um deles é justamente o melanoma amelanótico, que não acompanha as características anteriores. Ele não é escuro e pode ter a aparência insuspeita, lembrando até mesmo uma verruga!

 

 

Como saber então se você tem alguma lesão preocupante?

Agende uma avaliação com o seu dermatologista no mínimo anualmente para realizar a dermatoscopia dos nevos. Pode ser que seu médico ache necessário te ver em períodos mais curtos dependendo do seu histórico e antecedente familiar. Pode ser ainda que seu dermato te indique uma avaliação mais detalhada, o mapeamento digital dos nevos (dermatoscopia digital).

Dica de ouro: qualquer lesão que não cicatriza merece ser avaliada pelo médico dermatologista! Mesmo que você já tenho ido ao dermato há menos de 1 ano.

 

 

Como se cuidar?

Use muito filtro solar de FPS no mínimo 50, roupas com proteção UV, chapéu e não tome sol das 10 às 16:00 horas. Lembre-se de que o melanoma está mais associado à exposição ocasional e muito intensa, como terminar um final de semana com a pele da cor avermelhada, do que à exposição solar crônica!

Entrar em pânico e pedir que o seu dermato remova todas as suas pintas (sinais) não te deixa livre do melanoma! Sim, alguns pacientes já me pediram isso! O motivo é que a maioria dos melanomas não surgem a partir dos nevos, mas sim da pele normal, que não apresentava qualquer lesão.

Fique atento: a prevenção é sempre o melhor remédio! E o diagnóstico seguido do tratamento precoce muda a vida do paciente e apresenta enormes chances de cura!

 

Fotos: Freepik / Dra. Marília Vannuchi Tomazini / Divulgação

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *