“O que os olhos não veem” o bolso sente!

Quem nunca ouviu ou até pensou essa seguinte frase “Ah! Decidi que irei construir! Será que necessito de um Arquiteto ou Engenheiro Civil?”. A maioria das pessoas creem que apenas o que se constrói acima da terra é o mais importante, mas será que é isso mesmo?

Em uma construção, seja ela um comercio, um edifício, ou até mesmo uma residência, todas irão necessitar de um elemento fundamental para mantê-la em pé, a fundação. Este elemento estrutural é responsável por suportar o carregamento de forças que vem das lajes, que passa pelas vigas e prossegue pelos pilares até chegar a fundação, que por sua vez descarrega e dissipa todos os esforços para o solo que está em contato com ela.

 

 

É de suma importância conhecer o tipo de solo em que a edificação será apoiada para que problemas futuros sejam evitados, como recalque diferencial (que ocasiona o aparecimento de trincas), o recalque uniforme (que causa o aprofundamento da edificação), a ruptura de tubulações (água ou esgoto) e o afundamento do piso, entre outros. Desse modo, é importante saber que após a finalização de toda a construção que não houve o acompanhamento técnico adequado esses problemas irão aparecer, podendo ser em dias, meses ou anos. Essas complicações poderão ser solucionadas, porém apresentarão custos elevadíssimos, tendo casos em que a melhor solução é destruir tudo e fazer novamente.

O profissional (Arquiteto ou Engenheiro civil) responsável pelo projeto e obra, necessita de um laudo de sondagem do terreno. “A sondagem a percussão com determinação do SPT” é o processo de investigação do subsolo mais aplicado nos meios da construção civil, que proporciona um parecer das propriedades do solo, com um custo relativamente baixo. Sua execução possuí um procedimento simples, com equipamentos de fácil instalação, até mesmo em locais de difícil acesso. Os resultados desse processo não são homogêneos, podem apresentar diferenças em comportamentos, propriedades e resistências em pontos divergentes dentro de um mesmo terreno, quem dirá de lote para lote, de bairro para bairro, de município para município.

O responsável técnico (legalmente habilitado, registrado no CREA ou CAU) tendo em mãos esses dados – da análise de solos – terá condições de elaborar um projeto de fundação adequado para a necessidade de seu cliente. No desenho técnico será definido qual o melhor tipo de fundação (rasas ou profundas) e seus espaçamentos que melhor atende as condições do terreno, o que garante economia, rigidez e principalmente a segurança para a estrutura.

 

Fotos: Freepik

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *